quarta-feira, 24 de julho de 2013

D6 - Na espera

Pessoal, acordei feliz, porque sonhei com o positivo. Foi um sonho meio tumultuado, mas no meio da história tinha esta ótimo notícia, vou esperar que vire realidade.
Ainda continuo sentindo as dores de cabeça, deve ser a avalanche de progesterona e estrogênio.
Como é o D6, pelo que li em artigos sobre FIV e nos blogs, é um período em que algumas mulheres sentem alguns sintomas da nidação, como um leve sangramento, tipo borra ou algo assim. No meu caso, nada até agora.
Para esclarecer, um resumo sobre a nidação após a transferência dos embriões
Nidação é o momento em que, na fase de blástula, o embrião se fixa no endométrio (útero).
O tamanho do blastocisto é de 0.1 - 0.2 mm, 5 - 6 dias pós-ovulação
O blastocisto perfura e "abandona" o invólucro da zona pelúcida ("hatching") em torno do 6º dia pós-fertilização, quando o mesmo penetra no útero (endométrio acima de 7mm de espessura).
As células do trofoblasto secretam uma enzima que provoca erosão no epitélio de revestimento uterino e cria um sítio de implantação para o blastocisto.
Num processo de estimulação cíclico, o ovário é induzido a continuar a secreção de Progestrona, enquanto o hCG (gonadotrofina coriônica humana) é liberado pelas células trofoblásticas do blastocisto em implantação. As glândulas endometriais do útero se tornam aumentadas em resposta ao blastocisto e o sítio de implantação torna-se edemaciado e com novos capilares. A circulação útero-placentária se inicia, um processo necessário para a continuação da gravidez.

Portanto, é nesse momento que o embrião inicia o processo de implantação (fixação ao útero).