segunda-feira, 8 de julho de 2013

A primeira HISTEROSSALPINCOGRAFIA a gente não esquece!

Comecei a tentar engravidar no final de 2009, depois que meu casamento passou por uma grande crise. Não era a primeira, mas foi a primeira de grande impacto. Não sei bem o que aconteceu, mas nossa carreira estava tomando rumos diferentes ...
Depois de quase nos divorciarmos, de muita conversa e choro, resolvemos ficar junto. Aí pensei: - Dane-se o trabalho, vou engravidar!
Este era o sonho do meu marido, que é 5 anos mais velho que eu, mas depois de 4 anos de casamento, eu precisava retomar este plano, pois bens materiais e sucesso profissional estava atrapalhando tudo. Sempre rola uma competição e sei que isso incomoda os homens...
Então desencanei do anticoncepcional neste ano de 2009 para ir fundo e... nada.
Pensei: foram muitos anos tomando pílula, vamos dar um tempo para meu corpo, ainda tenho 32 anos... nada.
Chega 2010, todo mês naquela expectativa, lingerie nova para dita da ovulação, mandingas ficando com a perna para o alto para não perder os “nadadores” e... nada.
Aí depois deum ano resolvi fazer todos os exames, com um médico muito recomendado por várias amigas e começa a saga.
O primeiro exame, além de todos aqueles exames de sangue, foi um que não vou esquecer mais: HISTEROSSANPINCOGRAFIA.
Além deste nome horroroso, o exame é horrível!!!!!!!!!!!! Acho que dei azar, pode ser que depende muito do profissional.
O médico falou que era tranquilo e eu não perguntei mais nada. Agendei e, no dia, recebi os procedimentos. Além da chatice da lavagem intestinal, o troço doeu tanto quando usam um suporte para suspender o útero e, com contraste, para verificar se as trompas estão obstruídas. Por azar, alguma coisa deu errado e o médico que fazia o exame teve que repetir.
Juro, a expressão “desmaiar de dor” neste momento foi literal. Quando viram que eu ia desmaiar, a enfermeira falou: - A gente devia ter dado anestesia.

Bom, apesar de tudo, as trompas estavam perfeitas. Menos mal.