segunda-feira, 8 de julho de 2013

A videolaparoscopia

Tem coisa pior que aniversário de criança ou encontro de família quando perguntar: - Você não vai ter filhos?” No começo ficava constrangida, depois passei a dar respostas mal educadas do tipo “Deus deu a vida para cada um cuidar da sua”, mas hoje nem ligo para aquela tia sem noção. Digo simplesmente: - No momento, não quero filhos.
No fundo, é chato...
Vou contar um segredo: quando vejo na esquina no farol aquelas mulheres pobres  pedindo esmola, mas com um barrigão de gravidez, penso:  - Pô, até ela tem e eu nada? Sinto uma inveja e ao mesmo tempo fico envergonhada, em uma confusão de sentimentos.
No meio do caminho, desde 2011 quando desisti da videolaparoscopia para diagnosticar a endormetriose, resolvi  retomar o projeto BB, em dezembro de 2012.
Foi aí que veio a surpresa: ao trocar de médico, agora uma mulher, super fofa, ela me pediu novamente todos os exames. O resultado para um deles: positivo para Clamyidia. Ao buscar satisfação com meu marido, ele confessou a traição.
Foi um baque. Traição? Eu sempre fiz tudo por ele... Como?
Então, em janeiro de 2013, tive que tomar uma importante decisão: seguir à frente com o sonho de ser mãe e perdoar uma traição ou abandonar tudo e começar com outra pessoa?
Não sei dizer bem o misto de sentimentos que vem à cabeça. A revolta, a decepção. Só sei dizer que o perdão pode ser sublime, mas não é fácil e muito difícil ser completo.
Podem me julgar, mas depois de muita conversa, não sendo esta a primeira crise, resolvi engolir me orgulho e seguir em frente. Foi a decisão mais difícil da minha vida até hoje.
Na verdade, está sendo. Não digo que perdoei ou esqueci. Fiz um esforço para aceitar a possibilidade. Nunca será a mesma coisa, posso afirmar com certeza. Há lugares, situações e outros eventos que me remetem à traição (ainda mais por conhecer quem era a pessoa – a outra) .
Passei por tudo isso e resolvi em fevereiro de 2013 fazer a videolaparoscopia com esta médica que confio O plano de saúde cobriu tudo, a cirurgia foi tranquila e um sucesso.
Tive que me internar na noite anterior, fui sozinha, ainda estava com o coração partido e ressentimentos à flor da pele. Cheguei no hospital, tinha uma colega de quarto (no plano de saúde, o quarto é dividido) e ela iria retirar os 2 seios por causa do câncer. A gente reclama, mas pensei nisso quando a luta é pela vida. Foda demais.
Fiquei quietinha lendo o livro que havia levado sobre Mitologia Grega, quando chegou o enfermeiro para fazer lavagem intestinal. Humilhante, odeio quando enfiam aquele tubo na gente.  Acordei cedo e logo fui sedada. Nem vi a médica e já acordei no centro de recuperação com apenas 2 cortinhos discretos na barriga, um no umbigo e outro mais embaixo. Sonolenta ainda, a médica passou no quarto e deu a notícia: eu NÃO tenho endometriose, nada , nada. Apenas 3 miomas, sendo um grande de 10 cm e deveria pensar o que fazer.

Posso dizer, para quem está com medo de fazer uma video: é bem tranquilo, a recuperação é rápida (embora eu tenha sido teimosa e no dia seguinte já estava trabalhando)

Agora, preciso pensar no que fazer: inseminação? fertilização? cirurgia para retirar os miomas (com um corte de 15cm)? Não sei...