quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Notícias sobre esta minha 4ª TEC – Transferência dos Embriões (3ªFIV)

Pois é, na 3ª FIV a gente já conhece os processos, mas as emoções voltam com força... Hoje fui à clínica fazer o ultrassom para programar a transferência dos congeladinhos!!!
Depois da “maré vermelha”, comecei com a Primogyna no 3º dia e hoje é o 11º do processo para deixar o endométrio bem fofinho. Este remédio me deixa um pouco mal, não sei se acontece com vocês que já tomaram. Além de uma puta oscilação de humor, ora feliz da vida e ora querendo acertar uma marretada na parede com situações bobas, estou muito inchaço e cansaço. Vcs também se sentiram mal? Eu já tinha tomada nos processos anteriores, mas não sei é a idade, porque fiz uma FIV com 35, outra com 37 e agora esta com 38 anos, parece que o corpinho já fica mais lento... eita, envelhecer é triste mesmo...
Como me senti muito, muito cansada, resolvi perguntar à medica durante o ultrassom. Bom, antes não tem muito o que comentar, é aquele esquema de sempre: chegar à clínica, levar um “chá de cadeira”, pegar umas revistas de futilidades para passar o tempo ou ficar nas redes sociais (até aproveito para responder uns e-mails do trabalho para não perder o hábito workaholic) e um silêncio entre os casais.
Sabe, acho engraçado este clima das clínicas. O silêncio sepulcral – e olha que já perdi a conta destes vários tratamentos quantas vezes já fui às clínicas e passei por várias. Nunca os casais de falam. Eles se olham, no máximo se cumprimentam e pela troca de olhares de cumplicidade – afinal todos estamos lá pelo mesmo motivo – ficamos fechados em nosso cantinho como uma blindagem. Somente conversei uma vez com uma garota muito simpática que tinha vindo de Brasília até Campinas para fazer o tratamento do Cross Match – aquelas doses de anticorpos chamada “vacina do pai” que é bem polêmico ainda – e coloquei alguns posts aqui. Foi na clínico do Dr Barini e por fim não fiz os procedimentos porque os médicos que cuidaram da FIV não recomendaram estas vacinas por não haver consenso médico-científico. Trocamos até contatos do WhatsApp e tal, compartilhamos informações antes da consulta, mas foi só nesta vez.
Ah, isso foi só um parênteses, uma breve divagação.... kkkkk... Agora voltando aos sintomas da Primogyna. Quase perdi o fio da meada. Perguntei à médica se era comum sentir um cansaço absurdo com a medicação e ela disse que sim, há mulheres que até dizem que o raciocínio fica mais lento. Foi aí que descobri o motivo dos problemas recentes de concentração e a malvada da insônia.
Me sinto tão cansada, espero que passe logo. E, obviamente, o peso que ganhei e não consigo perder. Apesar da dieta detox e de uma série super puxada na academia, que me faz sair de lá com os músculos das pernas tremendo, continuo engordando. Foram 6 kg desde o início do tratamento Vixi, tá complicado desta vez, espero que me livre deste peso extra logo.
E aí o desfecho: o endométrio precisa ter mais do que 6,5mm neste dia do ciclo e já está com 8,5mm e isso é uma ótima notícia. A médica disse que ele está bem trilaminar – não sei exatamente o que isso significa, mas ela mostrou que ele está com as “camadas” necessárias para receber os embriões. Na tela do ultrassom, deu para ver a imagem e no final é isso que importante.
Passamos por uma outra sala onde sempre, depois do ultrassom, vem a enfermeira passar as informações sobre medicamentos. Começarei no próximo domingo, dia 11/10, a usar o Utrogestan (1 capsula à noite via vaginal) e o Crinome (uma bisnaga pela manhã). E lá vamos nós para a transferência que ficou marcada para o dia 16, sexta-feira.
Neste final de semana tem feriadão, então vou aproveitar para ir à praia e descansar um pouco, me preparando para o momento esperado. Embora eu queira passar a imagem que estou calma, é mentira, viu, meninas... Estou super ansiosa como se fosse a primeira vez! Pensamento positivo, paz na alma e o coração já preenchido com a esperança de sempre. Bjsssss