quinta-feira, 1 de agosto de 2013

D14 - Não acredito: NEGATIVO!

Gente, que decepção! Fiz o Beta e deu negativo. Não consigo traduzir minha tristeza em palavras...
Ontem, depois que escrevi o post, passei na minha médica, parei tudo o que estava fazendo e fui no laboratório fazer o exame. Meu marido foi comigo pois estava tão curioso quando eu.
Eu estava com tanta confiança no positivo, foi super tranquilo, fizemos por volta de 11:30h e disseram que o resultado estaria na internet às 17h.
Fui ao trabalho para me distrair com os problemas do dia-a-dia, aguardando o horário.
Pontualmente chamei o meu marido, que trabalha na sala ao sala  e vimos o resultado juntos. Quando apareceu 2,0 - NEGATIVO, congelei. Não podia crer.


O pior é que estava no trabalho e tivemos que fingir que nada tinha acontecido.
Perdi o chão...
Imediatamente enviei um email para a médica, que rapidamente responder para suspender a medicação e que quando o embrião não implanta pode haver um problema genético.
Agora quero entender os motivos pelos quais a FIV pode dar errado e o que é este tal de problema genético.
Continuei trabalhando até às 21h, pois na faculdade este é o horário de maior movimento de alunos e tive que atendê-los com o sorriso no rosto e o coração despedaçado.
Assim que saí do prédio, com meu marido, não aguentei e chorei até chegar em casa... Ele tem sido compreensivo e quer muito um filho. Eu quero dar isso a ele e me senti incapaz.
A sensação de fracasso para a mulher é muito grande. Fico pensando que posso conquistar muitas coisas profissionalmente e materialmente, mas não sou capaz de gerar um filho.
Sei que muitas mulheres passam por isso e não desistem. Eu não vou desistir.
Tenho mais 3 embriões congelados e eles logo se tornarão lindos bebês.
O que tentarei entender agora é como é a vida depois do "negativo". Também quero saber por que deu errado?
Sinto inveja quando vejo algumas mulheres no sinal, pedindo dinheiro, morando nas ruas e usando crack com um barrigão e penso: que injustiça. De fato, o mundo é cruel.
Um desabafo, pois depois de um trabalho que é tão custoso não apenas em termos financeiros, mas principalmente físico e emocional, vou me dar ao direito da revolta e tristeza.