terça-feira, 4 de agosto de 2015

O que aprendi com as FIVs? Fazendo um balanço sobre o processo de fertilização, ansiedade e expectativas...


 
O post de hoje é mais reflexivo... Quem lê o título parece que já consegui o positivo e estou contando o aprendizado depois de um processo finalizado. Na verdade, ainda estou no processo, mas sei que logo vou conseguir. Ainda estou no caminho, mas espero ansiosamente pelo destino. Não desistirei, como já escrevi várias outras vezes.

Como comecei um novo ciclo de indução na segunda, para quem está acompanhando, terei um ultrassom na sexta e possivelmente a punção entre daqui a uns 9 a 13 dias, não dá para precisar ainda porque vai depender da evolução dos folículos.
Eu estou com um tantão deles no ovário, porque são policísticos e isso ajuda neste momento, mas o problema é que todos precisam crescer no mesmo ritmo. Então a torcida é para o corpo reagir bem, para que todos cresçam uniformes (que não tenha aceleradinhos que fiquem maiores porque isso atrapalha) e os pequenininhos não são puncionados.

Aí fiquei pensando neste processo e o que tenho aprendido com tudo o que aconteceu nos últimos tempos...

Na verdade, fui mais longe, desde que fui à primeira consulta em 2008 para saber porque não estava conseguindo engravidar após 6 meses de tentativa. Eu nem poderia imaginar que aqueles meses se transformariam em anos de tentativa.

Já se passaram 7 anos e foram “tantas emoções”, como cantaria Roberto Carlos... kkkkkk

Nas FIVs, aprendi bastante sobre o processo, mas também aprendi sobre mim.


Aprendi a ser paciente com a natureza, comigo e com a vida

Aprendi a respeitar o meu corpo e o seu ritmo
Aprendi que não posso controlar tudo como gostaria – e que por muito tempo achei que pudesse, o que gerava uma baita ansiedade

Aprendi que as pessoas dão muito palpite e não precisamos contar tudo para os outro

Aprendi também que não somos “de ferro” e autossuficientes, por isso precisamos de alguém para compartilhar

Aprendi que precisamos tirar força de uma parte de nossa personalidade que nunca soubemos que ela existia até então

Aprendi que a força não é deixar de chorar, mas é chorar porque ainda temos força para tentar

Aprendi que o mundo não será do nosso jeito, mas que mostramos ao mundo que fizemos nosso melhor.
 
Por hoje é só... Finalizando o post porque está na hora da 2ª picadinha de Gonal do ciclo. Bjs