terça-feira, 4 de agosto de 2015

Começando a indução com Gonal F, de novo as picadas com a canetinha...


Meninas, ontem, segundona, dia 3/8/15, comecei o novo ciclo de indução de ovulação. Usando a contagem dos médicos, estou na minha 3ª FIV, pois quando há TEC eles não contam como novo processo porque os embriões são da "mesma safra".
 
Assim entendi que já fiz o seguinte:
 
- 1ª FIV (maio/13) = por hiperestímulo, houve a 1ªTEC (julho/13)
- 2ª FIV (dezembro/14) = com congelamento, ocorrendo 2ªTEC (fev/15) e 3ªTEC (março/15)
 
Agora será a 3ª FIV e sei que faremos o congelamento, pois o médico analisará de forma mais detalhada e com exames específicos a qualidade dos embriões, sendo esta a hipótese para as falhas anteriores.
 
Com o problema de varicocele do meu marido que descobrimos recentemente, este pode ser o motivo da alta fragmentação espermática da cromatina (maior que 36%, contra os 20% aceitáveis pelos médicos) e isso prejudica a transmissão da carga genética. Aí os embriões não tem boa evolução das células a partir do D3 e chegam ao D5 abaixo das expectativas.
 

A opção da clínica (e nossa também) foi por não realizar o tal do TESA (Testicular Sperm Aspiration), que é a aspiração percutânea de espermatozóides do testículo.
Abrindo um parênteses para explicações aqui, é mais indicado para casos em que não há espermatozoides no ejaculado, mas não há um consenso. Isso é complicado para nós, principalmente porque precisamos tomar as decisões com as informações que os médicos repassam.
 
No caso de varicocele, dependendo do grau, o médico sugere uma cirurgia. Em nosso caso particularmente, como temos o tempo escasso por nossa idade, teríamos que esperar um período de pelo menos 6 meses com a recuperação do marido, apenas da cirurgia ser simples. Não temos mais este tempo e, como disse o médico japa, vamos pensar em outras formas de melhoria durante a FIV. Embora ele tenha sugerido a TESA (pois a varicocele altera a temperatura escrotal e afeta a qualidade do sêmen), na clínica que vamos fazer, recomendaram a ICSI para escolha dos melhores, já que meu marido tem uma boa quantidade de “nadadores” e dá para fazer a seleção por este método.
Basicamente, há 3 tipos de punção testicular: PESA, MESA E TESA
  • MESA - Microsurgical Epididymal Sperm Aspiration: Técnica cirúrgica de extração espermática com retirada de pequena quantidade de líquido do epidídimo.
  • PESA - Percutaneous Epididymal Sperm Aspiration: Técnica que captura os espermatozoides por punção dos epidídimos e aspiração do líquido desse órgão. Muito utilizada em casos de pacientes com dificuldades de escoamento espermático (ex: vasectomia).
  • TESA - Testicular Sperm Aspiration: Técnica de recuperação espermática intratesticular por punção e retirada de material testicular. Sua indicação pode ser feita em casos de ausência completa de espermatozóides na ejaculação.
Mas como são indicadas em casos de azoospermia obstrutiva (quando não tem espermatozoide ou são muito poucos), vamos tentar a ICSI.
Com isso cheguei na clínica por volta de 11h30, sempre em cima da hora, para variar... rs. Fiz o ultrassom com o Dra Márcia, sempre um amor e muito atenciosa.

Gente, estou com muitos folículos “antrazes”, acho que é assim que se escreve, pois são os potenciais ao desenvolvimento com a indução. No 3º dia após menstruação, são 27 no ovário direito e 20 no ovário esquerdo. São 47 folículos, oba!!!  Agora é só torcer para que cresçam no mesmo ritmo, reagindo ao Gonal e demais medicações e que cada folículo do tamanho certo tenha um óvulo lá dentro (pode acontecer de não ter...). Bom, mas se conseguir que um terço destes virem óvulos maduros na punção, tá valendo!!!

Saindo do ultrassom, já recebemos a medicação na farmácia da clínica mesmo, fui para o trabalho e à noite meu marido já começou com minha 1ª picada deste novo ciclo.
Agora são 150 UI de canetas de Gonal de 300, no ciclo anterior usava 125 da caneta de 450. Vamos lá. Espero que dê tudo certo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!