segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Mais uma dúvida cruel

 
Meninas, como têm passado? Minha vida voltou à rotina de trabalho depois que me recuperei da punção dos óvulos. Como foi em um sábado, passei o final de semana quietinha e na segunda já estava em pleno vapor, senti apenas um pouco de inchaço na barriga porque foram muitos folículos, mas estava com tanto problema para resolver com a equipe que até esquecia durante o dia. Aí me lembrava que receberia a ligação da embriologista, dava o friozinho na barriga... Agora já temos os 6 congeladinhos guardados na clínica!
Foi uma etapa vencida, agora aguardando o ultrassom para decidirmos sobre a retirada ou não do “miomão”. Na verdade, nem é tão gigante, tem 4,5 mm, mas é intramural e na maior parte externa ao útero, só resta ver se está afetando a cavidade.
Fiz uma pesquisa (na internet mesmo) e os especialistas se dividem sobre a retirada ou não. Também passei por consultas e acontece a mesma coisa, alguns sugerem a retirada e repouso de 6 meses até transferência, outros dizem que haveria o risco de uma “cicatriz” no útero onde ele está e que não valeria a pena.
Meu marido acha que devemos fazer uma tentativa sem a cirurgia. Como os embriões foram congelados em 3 lâminas (com 2 em cada), teríamos teoricamente 3 chances. Oh, dúvida cruel.
E aí passo para contar outra coisa que aconteceu nesta semana: meu diretor na empresa me chamou para fazer um convite: assumir a direção em uma unidade nova, a mais importante do grupo. O salário seria muuuuuuito bom, com muitas vantagens financeiras e de status profissional, mas também muuuuuuito trabalho e disputa de egos. Além disso, teria que me mudar para SP e ter uma vida muito mais corrida na loucura do ambiente corporativo.
Putz, de cara, já pensei em recusar. Acho que ele percebeu isso, disse que poderia pensar até hoje. Vou falar com ele. Pode ser que eu esteja abrindo mão da oportunidade profissional da minha vida, mas não posso abrir mão do projeto pessoal maior da minha vida. Estou me preparando em todos os sentidos para ser mãe e, se não der certo, ao menos tentei de todas as formas que pude.
Estou finalizando alguns trabalhos de casa e vou conversar com ele hoje à tarde. Vou seguir meu coração. Acho que emprego conseguiremos outras oportunidades se mostrarmos competência, mas a chance de ser mãe – e pelo avançar da minha idade já nos 3.8 que cheguei – não voltam mais. Ufa, decisão difícil, mas acho que já está tomada. Seguindo meus sentimentos e meus sonhos...

Uma ótima semana para todas!!!! Bjs