sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

A influência do médico na Fertilização in Vitro

Estou tentando sempre aparecer por aqui para deixar uma postagem ou reflexão, enquanto aguardo o início dos preparativos para a transferência. Tenho que aguardar a menstruação, pois somente com o início do ciclo é que começarei a medicação para preparar o endométrio – e então receber os “congeladinhos”!

Legenda da foto: Embriões Congelados aguardando a Transferência!

Nesta semana já chegou a fatura da anuidade dos embriões de 2013 que ficaram congelados, são 3 (acho que comentei em outro post). São R$700 e depois pagarei mais R$700 pela outra “leva” (acho que são mais 7 do ano passado).
Bom, nas minhas reflexões sobre todo este processo, para compartilhar com vocês, estava pensando na influência do médico para o sucesso do trabalho, ou seja, que a FIV traga um Beta Positivo, que é o que todas queremos. Poucas conseguem na primeira tentativa e outras conseguem até na sexta, como já li em alguns blogs e fóruns, ou em até mais vezes!

Naquelas que trocam de médico, o que é bem comum, vejo que a confiança é importante, a busca pela reputação do profissional e também a clínica em si, com um tratamento mais humanizado, que não olhe ou trate os casais apenas como uma folha de cheque ou um cartão de crédito que irá engrossar as receitas da clínica ou a conta bancária do próprio médico.

Saber o histórico do médico e quais os sucessos de seus tratamentos, conversar com pessoas que já se trataram com ele (ou ela) é fundamental.
Tem que haver uma certa disponibilidade do médico também para responder aos nossos questionamentos (que são muitos e sei que nossa ansiedade acaba enchendo a paciência deles, mas acho que faz parte da escolha profissional que fizeram e é parte importante do trabalho). Ter informações é muito acalentador para nós, que passamos por um turbilhão de emoções e de hormônios com as medicações.

Há certos protocolos do tratamento de FIV que são semelhantes, mas em uma conversa com a paciente e o seu histórico sobre infertilidade irão definir as medicações e doses mais adequadas. Apesar de rotinas serem parecidas neste processo, diferenças entre os médicos sempre existirão e devemos nos sentir confortáveis e confiantes. Se não acontecer, é melhor mudar mesmo...
Por hoje é isso, a sexta já começou na correria, mas vamos seguindo com muita energia, aguardando o final de semana!