terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Ainda com muitos sustos...


Meninas, quanto tempo não apareço por aqui, não é?! Puxa, foram momentos tensos desde a última postagem.
Tive sangramento praticamente todos os dias e isso me dava muito medo. Em geral, tem sido um sangramento escuro, que sai juntamente com o resíduo da medicação. Mas por 3 situações diferentes, foi um vermelho vivo, o que me deixou preocupada.
Fiquei um pouco em pânico e pesquisei muito sobre sintomas do aborto - principalmente sobre aborto retido, pois o medo é que o bebê pare de crescer ou o coração bater por insuficiência de hormônios da gestação (mesmo com a medicação toda) ou que os miomas cresçam demais (são 2 bem grandões, lembram deles na minha história? pois é, estão coladinhos com o bebê e disputando espaço e nutrientes com ele).
Na segunda passada, dia 23/nov, achei melhor procurar o médico depois de sentir cólicas mais fortes e o sangramento persistir. Passei o dia no Pronto Socorro e lá mesmo fiz o ultrassom, circulando com uma guia médica escrito “suspeita de aborto”. Chegando à sala do exame, veio um médico bastante objetivo e disse: “Vamos ver se o bebê ainda está aí”. Ai, me deu um aperto no coração e travou tudo. Foram segundos de agonia até ele dizer: “Estou vendo um saco gestacional ainda, só não sei se o coração tá batendo”. Puta vida, assim eu quase morro de susto e agonia. Aí depois de mais longos segundos, ouvi aquele som, o melhor do mundo: tum, tum, tum, tum... batendo a 170 bpm, bem acelerado. Mas até isso as pernas já estavam moles de tanto medo, já tinha feito a tal “cara de coruja com medo” e o meu marido estava ao lado com os olhos arregalados.
Bom, voltei para conversar com a outra médica ginecologista, que tinha assumido o plantão e mais duas horas de espera e ela disse que não dava para afirmar o motivo do sangramento, mas que não tinha descolamento da placenta e eu deveria ficar em repouso. Me deu um atestado de 5 dias, mas estou em um momento complicado no trabalho, então avisei meu diretor e também comuniquei minha equipe, pedindo segredo, que eu ficaria menos horas no trabalho e uma parte do tempo em home office.
O restante da semana passou bem, até que sexta tive novo sangramento, agora com um pouco de sangue vermelho. Como já tinha passado pelo exame, tentei me acalmar e também tinha a primeira consulta de pré-natal agendada para ontem.
Então, nesta segunda, dia 20/nov, fui até uma ginecologista que localizei no meu plano de saúde, li boas referências sobre ela e foi bem interessante. Ao fazer o exame de toque, ela de cara já se espantou com um pólipo muito grande à entrada do útero e disse que ele pode (mas não tem certeza) ser a causa dos sangramentos.
É um pólipo que surgiu na fase desta última estimulação de ovulação da FIV, descoberto no dia da punção e que, com a quantidade enorme de hormônios que tenho utilizado, cresceu bastante e fica num local vulnerável, em que o aplicador do Crinome pode estar lecionado por fricção na aplicação. É uma hipótese, que por um lado me deixa tranquila, mas por outro, ele não pode crescer muito pois pode forçar o útero à abertura e parto precoce – aí ela disse que, mesmo durante a gravidez, tem que ser removido, o que é um risco. Estou torcendo para ele ficar  bem quietinho...
Não sei se ficarei com esta médica, talvez consulte também uma que foi indicado pelo médico que fez a FIV, recebi excelentes recomendações sobre ela. Só que estou consultando meu plano de saúde que funciona por reembolso (parei que pagar Unimed pois esta ruim e estou com o plano da empresa, que é muito bom, mas extremamente burocrático).
No mais, estou me sentindo muito enjoada. No sábado vomitei muito, estava pálida como um vela Tive que trabalhar e nem consegui falar direito com as pessoas, saí mais cedo. Estou com esta náusea desde a 5ª semana. Agora entrei na 8ª semana e, em vez de melhorar, está piorando. O olfato está mais aguçado e alguns cheiros parecem horríveis. Tive também muita, muita dor de cabeça e o Paracetamol, que é a única medicação que podemos usar, parece que não funciona. Tenho sentido também um gosto ferroso na boca e uma fome meio bipolar, ou seja, como tal qual uma alucinada e, segundos depois, quero vomitar. Passam-se 10 minutos e faço isso tudo de novo, constantemente.
Ah, quem disse que os enjoos são “matinais” nos enganou, pois é o dia todo... o meu piora à noite, quando chego em casa e vem acompanhado de tontura, a casa fica girando. E, quase estava esquecendo, a insônia... estou com problemas para dormir e fico levantando para fazer xixi de tempos em tempos. OK, tudo isso por um ótimo motivo, o melhor da minha vida!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Feliz. Simplesmente feliz.
Bjs a todas