domingo, 10 de novembro de 2013

Como reagir perante a infertilidade?

Oi, meninas! Depois de um longo inverno, estou de volta e com energia na primavera para retomar o trabalho.
Agradeço o apoio de minhas leitoras que nem imagina que tinha tanta gente lendo. Queria que soubessem o quanto o apoio de vocês tem sido importante, de verdade! :)
Eu e meu marido optamos por não contar para ninguém da família e este blog tem me ajudado muito com o apoio de vocês, pois há um misto de sensação de solidão, medo, ansiedade e esperança, tudo ao mesmo tempo e em doses alternadas, mas que nos fazem oscilar demais.
Para quem está acompanhando minha história sabe que depois de uma FIV negativa, fiz o exame de Cross Match, que deu negativo, ou seja, que há necessidade que eu tome as “vacinas do marido”, como apelidaram, para resolver o problema imunológico.
Apesar de todo a polêmica que envolve este tratamento, resolvi que não tenho muito tempo e questionamentos e resolvi tentar. Todavia, a clínica do Dr. Barini, onde farei o tratamento, exige que todos os exames de sorologia sejam refeitos (ou seja, não podem ter mais do que um mês de realização). Como tinha feito tudo em junho para a FIV, terei que refazer tudo!
Fiquei p... porque já sei que estes tratamentos, além de caros, são decorrentes de uma modelo de negócios para estes médicos que é altamente rentável, já que estamos tão desesperadas que topamos tudo para engravidar. Não questiona a idoneidade dos profissionais e a eficácia, mas a verdade é que gastamos uma grana absurda investindo em um sonho.
Para justificar o título do post, é só para justificar que tinha sumido porque o impacto do negativo da FIV em julho me acertou forte, ou seja, não reagi bem, talvez porque as expectativas fossem muito altas ou porque não queria aceitar que isso seria um problema a ser enfrentado em novas etapas.
Como reagir diante da infertilidade? Realmente não sei, mas o importante é juntar forças e usar todos os recursos da ciência. Outro coisa importante é o apoio do marido, pois a mulher não pode carregar este peso sozinha (e muitas vezes tendemos a isso...)
Dei um tempo em tudo por causa da pressão no trabalho. Gente, estou trabalhando  de 12 a 14 horas por dia! Sempre fui workaholic, mas estou tão pressionada no trampo que até dei um tempo nos tratamentos. Juntar o stress, minha ansiedade natural e a pressão por metas, tenho certeza que isso atrapalhará o tratamento.
Em dezembro, estarei com um pouco mais de tempo por causa das férias nas aulas da faculdade. Amo dar aulas e os meus alunos são fofos, mas a grande está sendo muito pesada junto com o trabalho e as consultorias.
Portanto, vou refazer todos os exames de sorologia para tomar as vacinas ILP. Já sei que dói, pois quem tomou avisou. Tudo bem, estes esforços serão recompensados. Contarei tudo com detalhes.
Agora é só dar um tempo para recuperar as energias. Preciso estar bem para retomar o grande projeto da minha vida: ser mãe!