sábado, 4 de julho de 2015

Sobre as últimas consultas


Vou tentar resumir aqui o que aconteceu nesta semana, que foi muito intensa no trabalho, mas também uma mega peregrinação aos médicos para entender os novos rumos do tratamento. Vai aí um resumão dos últimos episódios.
Na segunda logo cedo passei em uma reunião de trabalho e na sequência já fui ao médico na CRCH (Clínica de Reprodução Humana de Campinas), que é bem pertinho de onde estava. Meu marido me acompanhou e então conversamos com o médico, explicando os últimos acontecimentos. Ele pediu para que eu compilasse todos os exames que pudesse, em particular os últimos do meu marido e os meus (para olhar os miomas). Demonstrou interesse particular nos relatórios das FIVs e imagens dos embriões. Ele acha que a fragmentação espermática do marido pode atrapalhar, mas que para ter certeza, teríamos que fazer uma análise dos embriões. Com isso, voltaremos nesta segunda para olhar os exames, mas pelo que entendi, ele pretende gerar novo estímulo para coleta de óvulos para termos mais embriões (se os exames não sugerirem nenhuma alteração). Posso dizer que, apesar dos R$600 da consulta, não ouvi nenhuma novidade, mas deve ser porque ele não tinha os exames em mãos, veremos na segunda-feira.
Na terça não fui ao médico, mas tive uma apresentação em SP, cheguei super cansada e nem organizei os exames que o médico pediu. Aí na quarta fomos em outro especialista, indicado pelo médico que fez nossa última FIV. Foi na mesmo clínica e já não tinha muita novidade para chegar lá, mas a diferença é que este é um andrologista, especializado em causas de infertilidade masculina.
Gostei muito do médico, jovem, atencioso e didático. Meu marido não queria muito que eu fosse, disse que queria conversar com o médico em particular. Mas pedi para ir, pois ele sempre foi comigo em todas e eu tinha direito de saber o que podemos fazer para dar continuidade ao nosso projeto. Na hora em que o médico chamou, ficou um impasse se eu entraria ou não, mas o médico insistiu para que eu explicasse o histórico.
Depois de todas as explicações e de examinar meu marido, saiu o diagnóstico que meu marido tem mesmo varicolece. Ele disse que, se tivéssemos tratado isso antes das FIVs, talvez não precisasse dos procedimentos e que seríamos pais. Aí ele pediu vários exames hormonais para meu marido e repetir o da fragmentação, pois disse que pode variar. Disse que as alterações morfológicas dos espermatozoides dele são aceitáveis e, devido à varicocele, uma recomendação seria fazer nova indução de ovulação e, no dia em que eu fizer a captação dos óvulos, meu marido fará um procedimento para retirar o sêmen diretamente do sacro escrotal, para captarmos os melhores. Foi meio estranho porque a cada consulta saímos do consultório desnorteados, com a pergunta “E agora?”
Aí na quinta foi a minha vez. Voltei ao ginecologia para ver o resultado do meu ultrassom e para agendar a histeroscopia. Infelizmente, estou com os 2 miomas grandões e surgiram mais 3 médios, um total de cinco. Ele disse, que a princípio, não estão alterando a cavidade uterina, que os meus ovários estão em tamanho ótimo sem sinal de policistos. Mas para tirar a dúvida, vamos fazer a histeroscopia para olhar como estão as coisas por dentro no útero. Ele já me passou por email e vou agendar depois do dia 13, quando vou tirar uma semana de férias.
É isso... Hoje depois do trabalho passei comprar um cartucho e uma pasta para imprimir e organizar todo o histórico dos exames. Além dos arquivos, este blog me ajudou a recuperar muita coisa que eu não tinha mais na memória.
Bom, com este resumo, o que tenho depois das consultas: vamos cuidar da varicocele do meu marido, vou fazer a histeroscopia para checar se está tudo certo no útero e com os miomas e então decidir se partimos para nova estimulação em nova FIV. Com muitas expectativas!