sexta-feira, 10 de junho de 2016

36 semanas: está chegando...



Hoje foi meu último dia no trabalho. Me despedi do pessoal, deixei assinada a carta de promoção de uma funcionária muito querida para ser supervisora, mas tive que deixar também pronta a de demissão de um coordenador. Acontece... tenho que me desligar do trabalho agora e me preparar integralmente para a chegada do bebê.
Como toda mãe, já assisti dezenas de vídeos no Youtube sobre parto, recuperação pós-parto, como fazer a mala do bebê para maternidade (e da mãe), como amamentar e como fazer o bebê dormir.
Estou lendo “A Encantadora de Bebês” e me recomendaram “Nana Nenê” (algo assim, assim não procurei, mas parece que a metodologia do autor é questiona por alguns, vou me inteirar sobre o assunto).
Também é engraçado perceber como os “medos e ansiedades” da gravidez vão mudando ao longo das semanas. Que diga o Google, o grande oráculo que sabe de tudo sobre nós pelos histórico de nossas pesquisas... kkkkk.
Nos primeiro trimestre, tentamos entender as mudanças em nosso corpo, os enjoos, o medo do aborto prematuro e sangramentos, até a primeira vez que o bebê vai mexer. Então no segundo trimestre, nos preocupamos sobre alimentação, se o ultrassom está tudo bem e ele está crescendo dentro da curva de controle, começamos a pensar na decoração do quarto e enxoval. Já no terceiro trimestre, as preocupações com o tipo de parto, como será a recuperação e na organização das tarefas que antes eram prioridade no trabalho serão esquecidas por um tempo. A noção de tempo mudará e mesmo que na fase final a gente se prepare para fazer uma “reserva de sono”, as noites são mal dormidas porque a barriga não deixa. Eu até que tento dormir do lado esquerdo como a médica recomendou, mas no meu da noite acabo me virando, então virou de novo.
Agora minhas preocupações também passam pelos movimentos do bebê. Tem dia em que ele se mexe mais, em outros, quase nada. Aí a neurose faz a gente buscar algo na internet. Tem uma baboseira nos fóruns e, como já disse antes e podem me crucificar, que dificuldade no português tem algumas pessoas... vixi... quanto erro de ortografia absurdo, dificuldade em formar uma frase que fica difícil buscar uma fonte de credibilidade. Tento artigos mais científicos da área médica, mas são escassos para alguns questionamentos. Desculpem o desabafo, pois a internet é um espaço livre, democrático e inclusivo, mas escolher as fontes é importante, sempre digo isso aos meus orientandos de TCC, tanto da graduação como da pós-graduação.
Bom, já tomei todas as vacinas, fiz exames de curva glicêmica, hemograma, urina (várias vezes) e o tal do Streptococcus Agalactiae, tudo em ordem. Pressão controlada na média de 11 x 7 e os 18 kg a mais que pretendo perder nos primeiros meses.
Já estou sentindo contrações de treinamento mais intensas e a médica pediu para que nesta semana eu pare de usar o Utrogestan, para deixa a natureza agir. Gente, dá um apeguei de tal forma à Progesterona, que estou morrendo de medo de parar. Mas a médica disse que após as 36 semanas, ela perde sua eficácia, então vamos lá, respirar fundo, parar o uso da medicação e esperar o meu bebezinho tão querido chegar...